Mulher de cabelo escuro em pose descontraída

Compreender a pele Como varia a pele segundo os grupos étnicos?

As nossas origens étnicas influenciam a estrutura e aparência da nossa pele. Num contexto de pele, o termo etnicidade também se refere aos diferentes factores ambientais e culturais que têm impacto na saúde e aparência da pele.  

A pesquisa nesta área foca-se na pigmentação. Apesar das limitações da categorização e da inconsistência das pesquisas, as investigações têm mostrado que a estrutura e os problemas da pele variam de acordo com o grupo étnico. A forma como tratamos e cuidamos da pele e os produtos que usamos, refletem essas diferenças.

Como a pele e a pigmentação diferem nos grupos étnicos

A cor da nossa pele é determinada pela densidade e distribuição de melanina. A melanina é um pigmento produzido por células especializadas na camada basal da epiderme, conhecida como melanócitos. Esta melanina é passada para outras células na camada basal, dando origem à pigmentação.

Ilustração da aparência de pigmentação da pele

Todos os grupos étnicos têm um número semelhante de melanócitos na sua pele. O que difere entre as etnicidades é o nível da sua actividade, juntamente com os componentes das células e como se agrupam. São estas diferenças que definem os diferentes tons de pele.  

A tentativa de alterar o tom da sua pele pode ter influência na sua saúde:   

  • O desejo de se bronzear daqueles que têm pele branca, origina uma maior susceptibilidade a cancros de pele.
  • O desejo de algumas mulheres com pele escura terem um tom de pele mais claro, pode dar origem ao uso de produtos inadequados e que provocam danos cutâneos.

O impacto da etnicidade no estado da pele

Enquanto que muitos estados da pele são partilhados por todos os grupos étnicos, a etnicidade pode ter impacto na sua ordem (i.e. que um certo grupo étnico com mais probabilidades de sofrer) e a sua aparência. 

Há diferenças notáveis entre peles mais escuras e mais claras na sua reacção ao sol, problemas de pigmentação, irritações e inflamações.

Exposição UV

A exposição UV é um dos factores mais significativos que afecta a saúde da pele em toda a população. Estima-se que 10% da população mundial terá cancro de pele.

O grupo étnico de uma pessoa afecta como a sua pele reage ao sol:
  • A pele branca é mais afectada pela exposição UV, sendo que os que têm dificuldades em bronzear-se e os que se queimam mais facilmente têm um maior risco de cancro de pele. 
  • A pele escura proporciona maior protecção contra os UV, sendo o seu factor de protecção muito superior à pele clara.    
  • O cancro de pele é menos frequente em pele mais escura. No entanto, vários relatórios dos EUA mostram que quando é descoberto, pode ser numa fase mais tardia e, como tal, num estado mais avançado.   
  • As manchas da idade são mais visíveis na pele Caucasiana e Asitática do que nos tipos de pele mais escura.

Todo o tipo de pele necessita de cuidados quando expostas ao sol. Leia mais em como o sol afecta a pele e sobre como proteger a pele contra os UV ao sol.
Mulher asiática a olhar para o sol
Apesar da pele mais escura estar mais protegida contra os UV do que a pele clara, é recomendado o uso de protector solar.
Rosto de mulher asiática
As manchas da idade são mais visíveis na pele Caucasiana e Asitática do que nos tipos de pele mais escura.

Problemas de pigmentação

Enquanto a pele de todos os tons pode sofrer de problemas de pigmentação, estes são mais frequentes, mais visíveis nos indivíduos de origem Asiática, Hispânica e Africana. Doenças inflamatórias comuns, tais como Dermatite Atópica ou acne, que se manifestam como um eritema (vermelhidão causada por dilatação capilar) na pele clara, podem causar alterações de pigmentação nas peles mais escuras.

Rosto de mulher com problemas de pigmentação
Em geral, as desordens de pigmentação podem aparecer em todos os tipos de pele.

Hiperpigmentação pós-inflamatória

As peles mais escuras tem tendência a terem hiperpigmentação pós- inflamatória, causada pela produção excessiva de melanina e aparece como manchas de cor de pele mais escura. Estas manchas ocorrem em pele que sofreu de acne e/ou Dermatite Atópica. Leia mais sobre as causas e tratamento em hiperpigmentação e hiperpigmentação pós-inflamatória.

Manchas da idade

As manchas da idade causadas pelo sol (lengitine solar) são mais visíveis na pele Caucasiana e Asiática do que em peles mais escuras. Leia mais sobre as causas e como prevenir em manchas da idade.


Mulher idosa de pele branca e manchas de idade
As manchas da idade são visíveis em pele clara e comuns em pessoas com mais de 40 anos.

Melasma

O Melasma é uma forma de hiperpigmentação que aparece no rosto, geralmente nas bochechas, nariz, testa e lábio superior, e por vezes noutras zonas expostas ao sol, como os braços. É semelhante em aparência às manchas da idade, sendo as manchas escuras maiores. São mais comuns entre os indivíduos de pele escura, Hispânicos e Asiáticos: a incidência do Melasma em mulheres grávidas mexicanas é de 80%. Leia mais sobre as causas e o tratamento em Melasma.

Grande plano das maçãs do rosto de uma mulher com melasma
Melasma, um tipo de hiperpigmentação, é mais comum em mulheres - só 10% dos casos são homens.

Irritação e inflamação

Quando a barreira natural da pele é perturbada, a sua função protectora é comprometida e tem tendência a irritações e infecções. Por influência das células de imunidade, a pele infectada pode inflamar devido à tentativa de reparação e cura da barreira da pele destruída. Enquanto este processo é igual para todos os tipos de pele, algumas pesquisas indicam que

  • A pele escura é menos reactiva à irritação. 
  • A pele Hispânica é mais resistente do que a Caucasiana. 
  • A pele Asiática fica irritada mais facilmente.
Homem a barbear o rosto
O nível de irritação é influenciado pela origem étnica, a pele Asiática fica irritada mais facilmente e a pele escura mostra menos reacções.

Dermatite Atópica (eczema)

A Dermatite Atópica é uma das doenças mais frequentes da infância. É um problema crescente nas civilizações ocidentais e afecta cerca de 1 em 15 crianças. Algumas pesquisas sugerem que as crianças de pele escura e Asiáticas têm maior tendência para desenvolver a doença nos primeiros 6 meses do que as crianças Caucasianas e Hispânicas. Num terço das crianças, a doença desaparece durante a infância, enquanto noutras pode continuar até à idade adulta.

A Dermatite Atópica é considerada genética. As pesquisas também revelam que as crianças dos países desenvolvidos que vivem em zonas urbanas com  maior poluição, assim como as que vivem em climas frios, têm maior tendência a desenvolver a doença.  

Uma vez afectadas, há um número de razões pelas quais os sintomas podem piorar. Os pacientes têm uma importante deficiência de lípidos e factores de hidratação naturais. Como resultado, a sua função de barreira enfraquece, a perda de água aumenta e têm mais tendência para ter pele seca e com prurido. Os pacientes têm também uma função de imunidade irregular, o que torna a sua pele mais reactiva ao ambiente e susceptível a inflamações.

Quanto mais a pele é coçada, mais bactérias se multiplicam causando inflamação e mais prurido, o que piora a doença.

As crianças caucasianas tendem a ter mais problemas de pele nas dobras onde se encontram as suas articulações (conhecidas como pregas cutâneas) como os cotovelos, pulsos, atrás dos joelhos e na parte frontal dos tornozelos.

Leia mais sobre como tratar a Dermatite Atópica.

Bebé de pele clara com Dermatite Atópica
10% a 20% das crianças a nível global tem Dermatite Atópica - os bebés podem desenvolver os sintomas com 2-3 meses de idade.
Rosto e decote de mulher de pele branca com Dermatite Atópica
A Dermatite Atópica é uma doença inflamatória que está a crescer, particularmente no mundo ocidental.

Rosácea

A vermelhidão crónica, conhecida como Rosácea, é mais comum entre as mulheres de pele clara do Norte da Europa e de descendência celta.

Rosto de mulher de pele clara com rosácea
A Rosácea é inflamatória e crónica e aparece no rosto.

Acne

Nos países desenvolvidos, a acne afecta aproximadamente 85% da população durante algum período das suas vidas. Apesar da gravidade da doença variar nos grupos étnicos, as diferenças são reduzidas:

  • Enquanto todos os doentes de acne têm borbulhas, alguns estudos mostram que os de pele escura têm mais inflamações e hiperpigmentação pós-inflamatória do que os Caucasianos.  
  • Outros estudos mostraram que a pele Asiática é a que tem maior tendência para inflamações e cicatrizes. 

Leia mais em as causas da acne e como tratar a pele com tendência acneica.
Grande plano de rosto com acne
A acne é a doença mais comum das nações industrializadas. Normalmente, começa na puberdade e pode persistir até à idade adulta tardia.

O impacto da etnicidade no envelhecimento da pele

Enquanto o envelhecimento ocorre naturalmente em todos os tipos de pele, os seus sinais podem variar de acordo com a etnicidade da pele:    
  • Os sinais de envelhecimento são menos severos e aparecem mais tarde nas peles mais escuras. Isto porque a pele mais escura contém mais melanina e está melhor protegida contra os UV. As manchas da idade são os primeiros sinais do envelhecimento da pele.
  • Nas peles mais claras, o envelhecimento começa com linhas finas e rugas. Nas peles escuras, manifesta-se com pregas profundas, principalmente as pregas naso-labiais. 
  • À medida que a pele envelhece, pode ter mais sinais de hiperqueratose. Estes são particularmente comuns na pele da Ásia Oriental.   
  • Os casos de Dermatosis Pupulosa Nigra (DPN) aumentam com a idade. A DPN são pequenas lesões benignas que aparecem em todo o rosto. É uma situação muito comum e surge apenas em pele escura, afectando até 30% da população Afro-Americana dos EUA.
Rosto de mulher com pele escura
Independentemente da origem étnica, a perda de volume é o principal sinal de envelhecimento em todo o mundo.
Homem idoso com pele escura e pregas naso-labiais pronunciadas
As pregas naso-labiais pronunciadas são comuns nas peles escuras.

Todos os tipos de pele passam por mudanças semelhantes à medida que envelhecem, sendo a perda de volume um dos sinais globais do envelhecimento. Contudo, a forma como nos sentimos acerca do nosso envelhecimento e como expressamos as nossa preocupações difere segundo a nossa cultura:

  • As mulheres da Europa do Norte associam rugas ao envelhecimento.
  • As mulheres Asiáticas preocupam-se mais com problemas de pigmentação.  

Leia mais sobre os sinais de envelhecimento, como prevenir o envelhecimento prematuro e como cuidar da pele ao envelhecer. A pele masculina e feminina envelhece de modo diferente. Leia mais em como varia a pele masculina da feminina?

Cuidar da pele de diferentes etnicidades

A pele tem um papel vital na sua saúde e bem-estar. Além de ser a nossa primeira linha de defesa contra os factores externos, como os irritantes, bactérias e vírus, a pele saudável mantém o equilíbrio dos fluidos no nosso corpo e ajuda a regular a temperatura corporal. A pele tem também um papel psicológico importante já que é o indicador mais visível da nossa saúde. O estado da nossa pele condiciona por isso a nossa auto-confiança.

Os cuidados da pele devem reflectir o tipo de pele e estado do indivíduo. Se precisa de mais informação para identificar o seu tipo de pele e quais os cuidados a ter, o teste da pele pode ser uma boa ferramenta de diagnóstico.   

As directivas para manter a pele saudável aplicam-se a todos os tipos e tons de pele. Leia mais em cuidar da pele do corpo e rotina diária do cuidado da pele do rosto.

Todos os tipos de pele necessitam de protecção contra os UV mas o nível de protecção varia consoante a cor da pele. Leia mais em pele e o sol.

As doenças de pele comuns podem originar pigmentação pós-inflamatória em pele de cor. É importante consultar um médico ou dermatologista. Leia mais sobre tratar e cuidar de problemas de pigmentação.   

Quem tem pele mais escura deve também procurar aconselhamento de um dermatologista antes de fazer tratamentos de laser ou peelings químicos, visto terem um maior risco de hiperpigmentação pós-inflamatória.

Mulher asiática aplica creme debaixo dos olhos
Uma rotina de cuidados diários é vital para todos os tipos de pele e origens étnicas.
Mulher com pele escura aplica filtro solar no ombro esquerdo
Apesar do cancro de pele ser menos comum na pele mais escura, a protecção UV é necessária e recomendada.

Newsletter: Se a sua pele falasse, o que diria?

Cada pele tem a sua voz. Registe-se e ouça a sua!

My eucerin, newsletter

  • Receba conselhos sobre cuidados a ter com sua a pele e informação sobre as nossas inovações e produtos
  • Seja uma embaixadora Eucerin e teste os nossos produtos e inovações
  • Beneficie de campanhas exclusivas aos membros My Eucerin!